14 janeiro 2011

Andando como filhos da Luz


Lição 3, de 16 de janeiro de 2011.

O livro de Efésios está dividido em 2 partes:

A primeira parte, trata da DOUTRINA; e

A segunda parte, trata da ação PRATICADA.

O texto dessa lição está em Efésio 5.1-21.

Comentário:

Consequemente, estamos estudando a segunda parte do livro. Nesta parte, aprenderemos AGRADAR a Deus, a APERFEIÇOAR o que aprendemos, a APRIMORAR (MELHORAR) o que já foi aprendido e, principalmente, a PRATICAR ser um seguidor de Deus.

Somos santificado no Espírito (1Co 6.11) sem exceção, e somos também EXORTADO todo tempo, a continuar sendo Santos, devendo viver como Jesus nos ensinou.

O Apóstolo nos diz para sermos imitadores de Deus, como filhos amados, ou seja, o Apóstolo não nos deixa margem para imitar fulano ou Sicrano e nem seguir seus passos, mas imitar a Deus que nos deu Jesus como OFERTA e SACRIFÍCIO suave.

O amor do cristão está no mais elevado grau. Veja em que posição nos colocou o Apóstolo Paulo em nos elevar acima daqueles que não tem esse privilégio, de reconhecer Jesus como autor e consumador de nossa fé. Andai pois nesse amor.

VIVENDO DE MODO A AGRADAR AO SENHOR

Quando éramos filhos das trevas, andávamos segundo o curso deste mundo, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos (Ef 2.2,3). Mas agora, que fomos alcançados pela graça de Deus e nos tornamos filhos da Luz, devemos viver de modo que agrade ao nosso Senhor.

  1. Como podemos agradar a Deus?
  • Amando como Cristo amou - O maior desafio para o cristão é amar. De todos os mandamentos do Antigo Testamento, Cristo resumiu-os em apenas dois: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como nós mesmos. 
         Cristo nos deu exemplo quanto ao amor. Ofereceu-se como sacrifício sendo levado ao matadouro por amor a humanidade.
          É impossível viver como filhos da luz sem amar.

    2.  Desprezando as obras das trevas - Como filhos da luz não podemos ter comunhão com a imoralidade, a corrupção e a injustiça crescentes no mundo, antes devemos repreender e denunciar o mal em todas as suas formas. Nosso dever é agir como verdadeiros aliados de Deus no combate às hostes infernais da maldade (Ef 6.12).

   3.  Ignorando a influência dos desobedientes - Quando nos relacionamos com pessoas que têm uma conduta questionável, podemos ser influenciado muito facilmente.
Somos chamados para ser luz e sal. Isto não quer dizer que não possamos ter amigos que não sejam cristãos, mas os limites devem ser observados para que a influência parta do cristão e este não se influenciado.

APERFEIÇOANDO A VIDA ESPIRITUAL
 
Andar como filhos da luz exige um cuidado constante com a vida espiritual. Tal qual a nossa salvação precisa ser desenvolvida, nossa vida espiritual precisa ser aperfeiçoada, e os caminhos para esse aperfeiçoamento nos levará ao fruto do Espírito em toda a bondade.

1.  Buscando discernimento - Para andarmos como filhos da luz, precisamos compreender perfeitamente qual seja a boa, perfeita e agradável vontade do Senhor (Rm 12.2). Saulo, pensando estar em sintonia com Deus, perseguia a igreja e, no caminho para Damasco, foi confrontado pelo próprio Senhor Jesus. Quantas vezes pecamos contra Deus, certos de estarmos obedecendo à sua Palavra.

2.  Buscando crescer no conhecimento - A busca pelo conhecimento das coisas sagradas é indispensável para o aperfeiçoamento da vida espiritual. O conhecimento gera crescimento, que gera maturidade. Sem ela, o crente não consegue subsistir diante das tentações e dificuldades, acabando por sucumbir. Como escreveu o profeta Oséias: "O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento" (Os 4.6).

3.  Buscando a plenitude do Espírito - Viver uma vida cheia do Espírito Santo não é uma opção para o crente, mas uma ordem de Deus para o seu povo. Da mesma forma que o Espírito Santo não glorifica a si mesmo, mas a Jesus, quando o cristão alcança a plenitude do Espírito, passa a viver uma vida espiritual que em tudo exalta o bom nome de Cristo.

APRIMORANDO OU MELHORANDO O RELACIONAMENTO COM DEUS

Para andarmos como filhos da luz, devemos estreitar nossa comunhão com Deus. Quanto mais próximo estivermos do Senhor, maior a nossa capacidade de expressarmos a sua glória. A luz que refletimos não é nossa, mas de Deus, e só refletir a sua luz aquele que tem comunhão com Ele.

1. Em adoração - Nossa adoração deve ser inteiramente dirigida ao Senhor, e de partir de um coração sincero e verdadeiramente motivado. À medida que estreitamos nosso relacionamento, mas O conhecemos, e quanto  mais O conhecemos, mais motivos encontramos para adorá-lo.

2. Em gratidão - Tudo o que temos e somos vem do Senhor, por isso é imprescindível que aquele que se relaciona com Ele o faça "dando sempre graças por tudo..." (v. 20 do texto da lição). Isso implica em dizer que, até mesmo as adversidades pelas quais passamos, devem ser objeto da nossa mais sincera gratidão.

3. Em humidade - A submissão de uns para com ou outros em Cristo é um princípio que deve ser seguido por todos os cristãos, porque "Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes" (Tg 4.6). Somente numa atitude de humildade, submissão e dependência é que poderemos nos relacionar com um Deus soberano.

CONCLUSÃO - Andar como filhos da luz é muito mais do que tomar uma decisão de seguir a Cristo pois exige compromisso que não pode ser por um instante, mas para toda a vida. A luz que ora refletimos pode ser ofuscada, ou até mesmo apagada, dependendo do nosso comportamento. Então, "assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus" (Mt 5.16).

Crescendo em tudo

A Lição 2, de 09 de janeiro de 2011.

Versículo Chave

"Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Ef. 4.15).

Texto da lição: Efésios 4.11-24

Introdução:

A igreja, na qualidade eleita de Deus, passa por um processo de desenvolvimento que a elevará além dos seres angelicais, a ponto de vir participar, no sentido mais literal ou seja, da própria natureza das perfeições de Deus Pai.

Devemos mostrar ao leitor que o crescimento é o meio para atingir a perfeição; e incentivar os crentes a progredirem cada vez mais.

O meio mais eficaz para a humanidade foi ganhar um presente  vindo do céu.

Pela sua infinita misericórdia, Deus jamais deixaria que sua obra prima passasse para mãos de outros, ou seja, para o domínio de Satanás. Contudo, era necessário efetuar um resgate, sendo preciso entregar seu filho, seu único filho por amor a muitos

POR MEIO DE UM PRESENTE QUE VEIO DO CÉU

 1. Deus deu Cristo aos homens - Paulo mostra-nos em Efísio 2.13 que o primeiro passo era nos aproximar do Pai, o que só seria possível através do sangue puro de um justo. Quem mais poderia se dispor, senão o próprio amor de Deus doando seu único Filho, Jesus?

2. Cristo deu o Espírito Santo aos homens - A palavra grega "parakletos" é o termo empregado para "Consolador", que significa literalmente "alguém chamado para ficar ao lado de outro para ajudá-lo". Isso quer dizer que a missão do Espírito Santo é a de dar continuidade ao que Cristo fez pelos homens, conduzindo-os ao alvo principal da missão de Cristo, a saber, sua restauração.

3. O Espírito Santo deu dons aos homens - De nós mesmos não somos capazes de atingir a unidade e a maturidade da natureza e atributos de Cristo.

Então, se faz necessário um auxílio a mais. Nesta hora, entra em cena a doação do Espírito Santo, que confere dons espirituais aos homens, tornando-os capazes a fim de que esses sejam presenteados à igreja que, mediante a obra dos seus ministérios, segue sua jornada em pleno desenvolvimento e edificação.

BUSCANDO PERFEIÇÃO COMO ALVO


O propósito de Deus é restaurar e unir a si todas as coisas. Por meio da igreja (Ef 3.10), até os seres celestiais poderão compreender claramente esse propósito universal.

1. Alcançando a unidade da fé - A fé é o instrumento da salvação. Porem, essa unidade da fé é mais do que pensamos, pois ainda não foi alcançada (Fp 3.12-14), quando, em seu último grau, ficarão para sempre removidos todos os elementos separadores e alienadores e então haverá completa comunicação e harmonia com o Senhor e com os irmãos.

2. Alcançando o conhecimento do Filho de Deus - O pleno conhecimento do filho de Deus significa tanto o conhecimento intelectual, como o espiritual, mediante a comunhão com Ele. Isso ocorre através da "iluminação e transformação" operadas pelo Espírito Santo. Paulo, em Efésio 1.18, ora para que os crentes tenham os "olhos do entendimento iluminados", a fim de conhecerem as riquezas da glória da herança nos santos.

3. Alcançando a estatura de Cristo - Paulo fala da igreja como um corpo humano que cresce desde a infância até atingir a idade adulta. Uma igreja plenamente desenvolvida é, sem sombra de dúvida, uma igreja "sem defeito", "perfeita". Cada crente será em semelhança, como Cristo é. Por isso, ninguém poderá ser perfeito enquanto não for semelhante a Cristo (Rm 8.29).

TRAZENDO CONSEQUENTE AUTO-EDIFICAÇÃO

A igreja tem um ministério interno que está sob sua responsabilidade com a supervisão e ajuda do Espírito Santo. Esse ministério abrange os campos da auto-edificação. Ao serem desenvolvidos os dons (capacitação) do Espírito Santo no seio da igreja, esta se auto-edifica.

1. Seguindo a verdade - Trata-se da verdade inerente da natureza de Cristo. No  caso, trata-se da responsabilidade da igreja em combater as heresias dos ensinamentos criados pelos homens. Esse era o zelo constante de Paulo (Gl 1.8), que se limitava a trilhar unicamente o caminho da verdade do evangelho.

2. O corpo torna-se digno do cabeça - Este processo crescente de espiritualidade mostra um corpo que abandona a fase infantil, para se tornar esteticamente compatível ao cabeça, ou seja, este corpo precisa tornar-se apropriado ao cabeça, a ponto de participar da sua natureza moral perfeita.

3. Edificando-se em amor - Se pararmos para pensar, todo esse processo de crescimento e nutrição se dá com base no amor, pois se faz necessário preservar a unidade do Espírito, no vínculo da paz (EF 4.3). A Bíblia nos garante que o amor edifica (1Co 8.1) e que também é o vinvulo da perfeição (Cl 3.14), portanto, é o dom supremo, o caminho para se conhecer a pessoa de Cristo, mediante a iluminação do Espírito Santo.

CONCLUSÃO:

Assim como Crisot não apenas se parecia com um homem, mas o era de fato, nós também recebemos sua natureza celestial. Ele é o nosso Cabeça e nós, o seu Corpo, por isso somos transformados, de glória em glória, até refletimos a imagem de Cristo, pois seremos como Ele é, na sua semelhança. Este é o propósito universal de Deus.

Compreendendo perfeitamente o amor de Cristo


Esse título da Lição 01, de 02 de janeiro de 2011, trás dois objetivos:
1º) Mostrar que os cristãos precisam desenvolver seu conhecimento acerca de Deus; e
2º) Incentivar a uma maior compreensão do amor de Cristo.

O estudo desta lição se acha em Efésios 3.14-21.

As escrituras Sagradas nos diz que, "Até que todos cheguemos... à medida da estrutura completa de Cristo" (Ef. 14.13), significando que devemos "Desenvolver sempre para alcançar o alvo com um único empreendimento no qual o cristão deve realmente investir toda sua vida".

O estudo mostra algumas prioridades que devem ser cumpridas na vida cristã. "Por causa disso, me ponho de joelhos". Era comum os Judeus ficarem de pé para orar (Lc 18.13), mas orar de joelhos é sinal de profundo sentimento com Deus.

O Apóstolo Paulo compreendeu imensamente o mistério de Cristo ao ponto de pedir a Deus para revelar-se aos crentes, assim como tem se revelado a ele.

Nossos irmãos comentaristas retrata que o homem deve ser forte interiormente. Este procedimento vem de Deus "Segundo as riquezas de sua glória". 

Ser fortalecido no poder de Deus (Ef. 1.19) é se preparar para receber aquele que habita em nossos corações, é ficar firmes e a viver trabalhando para o Senhor (1Co 16.13). Este é o "homem interior".

O homem interior é aquele que está enraizado e fundamentato. É estar radicado na própria pessoa de Cristo (Cl 2.7), e assim crescer em ações de graças. Não devemos viver como crianças corrento atrás de dádivas de sinais e de simbologias.
O fundamento é o próprio Senhor que nos assegura eterna Salvação. Nada mais nos atrai, pois estamos fundamentados em Jesus Cristo (Ef. 2.20-22).

O fato de compreender todas as dimensões do amor de Cristo em toda a sua extensão exige um zelo muito grande em se esforçar a aprender o conhecimento e a sabedoria de Cristo.

O melhor exemplo da grandeza do amor de Cristo é visto na cruz, por que? A lagura abrange todos os tempos (2Pe 3.9); a altura que se estende até o céu para nos trazer Cristo (Fp 2.6-8); e a profundidade que suportou sofrimento infinito para perdoar pecados (1Pe 2.24).

Os recursos da vida Cristã consiste na proporção da revelação que o Apóstolo Paulo teve do Senhor quando desejou que os crentes tivesse a mesma compreensão do mistério de Cristo.

Não devemos estagnar no tempo, mas desenvolver no Senhor os recursos que Ele nos propõe. Sabendo que o amor de Cristo excede todo entendimento. Compreender todo o intelecto de Jesus Cristo é impossível, mas podemos experimentá-lo.

Experimentar sua plenitude, por exemplo. Poderia o homem conter toda sua plenitude? Com certeza seria impossível. Não podemos limitar Deus, mas podemos permitir sua habitação em nosso âmago, ser cheio e até mesmo, o máximo de Deus, ou seja, chegarmos "a medida da estrutura completa de Cristo"  (Ef 4.13), mesmo que nossas petições seja insignificante, Deus nos concederia segundo seu poder, porque o que opera Nele é o amor abundante que Ele tem sobre os seus servos.

Ter uma vida cristã depende muito do crescimento diário a fim de conhecer cada dia mais a Cristo. Conhecer o seu grande amor, conhecer sua compreensão e esperimentá-lo e Deus fará muito além do que pedimos.

Comentaristas da Revista
Crescimento Bíblico

Adaptação Cássio Lopes