07 fevereiro 2011

Buscando as coisas do Alto

"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai
as coisas que são de cima, 
onde Cristo está assentado à desta de Deus"
(Colossenses 3.1)

Texto: Colossenses 3.1-16


  1. O desejo de todo crente é o de se manifestar juntamente com Cristo na sua glória. Para isso é necessário que esteja desenvolvendo a sua salvação a cada dia pois, mesmo estando mortos para o pecado e ressuscitados com Cristo, a velha natureza que ainda está em nós, pode se manifestar a qualquer momento, com todos os seus atos maléficos. Então, "buscai as coisas lá do alto" (Cl 3.1 ARA). 
      Para buscar as coisas lá do alto é preciso:

  1. DESPIR-SE DO VELHO HOMEM
          Antes de aceitarmos a Cristo andávamos conforme o curso deste mundo (Ef 2.2), obviamente não devemos continuar vivendo assim, pois já estamos mortos para ele. Por esta razão, Paulo apresenta algumas características da natureza humana que devem ser mortificadas (Cl 3.5,6).
  • Os impulsos sexuais - Ao criar o homem, Deus o dotou de capacidade reprodutiva (Gn 1.27,28 ARA), mas, após a sua queda, a sua natureza ficou corrompida, trazendo-lhe sérios problemas no decorrer da sua história (Gn 6.1-7; Rm 1.26,27).
        Quando Paulo faz menção à prostituição, impureza, paixão, lasciva e desejo maligno, se refere a pecados com características próprias, que se derivaram da natureza do velho homem. Daí a razão de se mortificar tais procedências.
  • A avareza - Muitos vão à igreja, levam convidados para ouvirem a Palavra, porém não conseguem praticá-la por causa da avareza. Isso nos mostra que o apegar-se a ela, é preencher todo espaço pertencente a Deus por esta razão, Paulo a caracteriza como idolatria.
          A Bíblia nos garante que "... a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui" (Lc 12.15). Os que se apegam à avareza, além de não confiarem na supremacia de Cristo, também se afadigam, por não se contentarem com o que tem (Hb 13.5).

  • A desobediência - É a razão da degeneração daquele que foi feito segundo a imagem e semelhança de Deus. Paulo define os que andam no pecado, como filhos da desobediência, e declara que sobre eles há de vir a ira de Deus.
          Desobedecer à Palavra, em busca das coisas terrenas, é subordinar-se ao inimigo de Deus (Ef 2.2). Portanto se "... toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação...?" (Hb 2.2,3).

       2. DESPIR-SE DOS ATOS DO VELHO HOMEM 

           No primeiro tópico, nos referimos à natureza do homem caído (Rm 3.10,23), no entanto despir-se da natureza não é o suficiente, pois temos que despojar de tudo. Então vejamos a necessidade de nos despimos dos feitos do velho homem.

  • Os malefícios da emoção - A emoção é um estado afetivo, que nos trouxe características do altíssimo, alegria e bem-estar. Com a queda do homem, surgiram as reações pecaminosas, geradas da ira e da cólera.
          A ira, em si mesma, não é pecaminosa e deve ser direcionada ao pecado e nunca ao pecador; assim como fez Moisés (Ex 32.19,20) e Cristo (Mc 11.15-18). Contudo, mesmo tendo a liberdade de senti-la, devemos despojar-nos dela o mais rápido possível para não alimentá-la (Ef 4.26).

  • Os malefícios da coragem - A coragem é o que impulsiona os homens a atos de bravura e ousadia (At 4.29). Mas como se sabe, tanto é usada para o bem, quanto para o mal, como é o caso da malícia e maledicência, pecados extraídos da coragem pelo velho homem.
          Quando os inimigos de Cristo procuravam matá-lo, o medo os impedia (Mc 12.12). Quando a coragem não está em harmonia com as coisas do alto, logo se inicia a desordem; para evitar isto, despojemo-nos desses malefícios.

  • Os malefícios da fala - "Mas, agora, despojai-vos também de tudo: ... das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros...". Há dois malefícios da fala: palavras torpe e mentira. Sendo o coração pecaminoso, se a fala o externar, isso contaminará o corpo inteiro, pois ela tanto destrói, como é inflamada pelo inferno (Mt 15.18,19; Tg 3.6).
          Se buscarmos as coisas do alto, nossas palavras abençoarão aos que as ouvem (Ef 4.29), pois as palavras maléficas, que acompanham o velho homem, não só o contaminam, como também o impedem de entrar na glória (Ap 22.15).

      3. VESTINDO-SE DO NOVO HOMEM

           As vestes de salvação alegram a alma (Is 61.10) por isso, ao nos eleger para uma nova vida em Cristo, Deus nos concedeu as vestes de eleitos. Porém, para usufruirmos delas, temos que aceitar sua Influência.

  • As atitudes para com Deus - Por tirarem Cristo do seu lugar de honra, os colossenses passaram a viver em conformidade com o mundo. Devido a esta infidelidade, Paulo lhes advertiu "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados...".
          Para dignificarem o ofício em que foram chamados, os sacerdotes deveriam vestir-se de vestes santas (Ex 28.4). Da mesma forma, assim devem proceder os eleitos de Deus, para que sejam irrepreensíveis em santidade (1Ts 3.13), pois se buscando as coisas do alto, entramos na presença de Deus, então devemos vestir-nos a rigor (1Pe 1.16).

  • As atitudes para consigo - O sistema religioso entre os colossenses era mais egocêntrico que Cristocêntrico. Para sanar esse problema, encontramos três virtudes no versículo 12 do texto deste estudo: "HUMILDADE" para revestir o ego; "MANSIDÃO e LOGANIMIDADE" para revestir o temperamento.
          Por se considerar superior aos demais, o egocêntrico precisa esquecer o seu ego, para pensar nas coisas do alto. Se assim também fizermos, reconheceremos nossas limitações, considerando os outros superiores a nós mesmos; e isso, com toda mansidão e loganimidade (Fp 2.3ç Ef 4.1-2).

  • As atitudes para com o próximo - Associar espiritualidade a cumprimento de regras é dar um grande passo à acepção de pessoas. Cristo pôs um judeu à prova (Lc 10.25-37), sabendo que os tais não se comunicavam com os samaritanos (Jo 4.9).
          Nossas atitudes para com o próximo dependem de mais três vestimentas:
          - MISERICÓRDIA, por triunfar sobre o juízo (Tg 2.13);
          - BENIGNIDADE, por estar sobre os que buscam a Deus (Sl 86.5); e,
          - AMOR, por ser o vínculo da perfeição (Cl 3.14).

CONCLUSÃO

          Como já dissemos, Deus não foi pego de surpresa com a situação do homem após aceitar a Cristo. Porem o homem, se não atentar para as orientações contidas na Palavra de Deus, será pego de surpresa pois, quando menos esperar, estará cometendo os mesmos atos que cometia antes de aceitar a Cristo.

           Se o teu desejo é o de se manifestar juntamente com Cristo na sua glória, então desenvolva a tua salvação a cada dia, observando os meios que Deus te concedeu para tomar posse da coisas do alto.