19 fevereiro 2011

Buscando a Perfeição

Versículo Chave

"E, sobre tudo isto, revesti-vos de caridade,
que é o vínculo da perfeição"
(Colossenses 3.14)

Lição 08 - 20 de fevereiro de 2011

Objetivo da Lição 
  • Mostrar que os dons e as obras ficam sem sentido, sem a presença do amor; e,
  • Mostrar as características do amor verdadeiro.

  • Texto da Lição: 1Coríntios 13.1-13

INTRODUÇÃO
O versículo 1 do texto da lição, inicia dizendo "Ainda que". Isso indica uma possibilidade, ou seja, eu poderia, mas seja lá o que for que eu pudesse realizar, não sendo esta façanha motivada pelo amor, ficaria totalmente sem proveito. O amor é originado em Deus, porque Ele é amor (1Jo 4.8), é a própria essência divina agindo em nós e passa a ser a autenticação das obras perfeitas. Se desejamos desenvolver a nossa salvação, precisamos do amor de Deus operando em nós, para alcançar a perfeição.
1. Para que os dons tenham sentido - Os dons foram distribuídos aos cristãos, com a finalidade de edificar a Igreja. É dado a "cada um", e não somente a um, segundo a vontade do Espírito Santo e não segundo a vontade do crente (1Co 12.11). Infelizmente muitos crentes têm os dons como um fim. Esquecem-se do amor que é o dom "excelente" (1Co 12.31).

O texto em apreço nos adverte que o uso dos dons, sem a presença do amor, é como o som de um gongo ou como o barulho de um sino que não quer dizer nada e não é nada.

2. Para que a generosidade traga benefícios - Algumas atitudes que são chamadas de "caridade", trazem mais malefícios do que benefícios, isto porque são feitas de acordo com o coração humano não transformado. O coração do homem é mais enganoso do que todas as coisas (Jr 17.9), não sai nada que presta do seu interior, se primeiro não for preenchido pelo amor de Deus (Mc 7.21-23). Alguns querem que a trombeta toque cada vez que fizer um "bem", outros querem mil agradecimentos sempre que der ajuda a alguém. Esta falsa caridade que o mundo problema é ilusória. Destruir todos os bens para sustento dos pobres, se não for pela força do amor (ágape), não adianta nada.

 3. Para que os sacrifícios tenham valor - Se morrer pelos outros ou por alguma causa que consideramos justa e boa desse direito à entrada no céu, então os rebeldes (donos do terror) estariam encabeçando a lista dos inscritos no livro da vida. No entanto, sabemos que estão fazendo sacrifício de tolo.

Os sacrifícios que alguns crentes fazem estão nesta categoria: Jejuar, dar assistência a todos os cultos, dizimar etc, porém sem o amor, não tem proveito algum. Até mesmo entregar o corpo para ser queimado, sem amor, não tem valor algum.

VIVENCIANDO AS CARACTERÍSTICAS DO AMOR

 Tudo que o mundo concebe como sendo amor está longe da realidade. Os nossos dicionários trazem conceitos que passam longe da verdade do que seja o amor ágape. De acordo com o texto, podemos ver suas verdadeiras características.

1. O que o amor é - Quem vive no amor de Deus consegue enfrentar os sofrimentos e ainda glorifica a Deus no momento da dor (Ef. 5.20). Sua presença no meio das pessoas sempre faz bem (Rm 12.9; 13.10). Sabe respeitar os limites e os direitos dos outros e vela pela necessidade do seu próximo (Rm 12.13,14).

2. O que o amor não é - Indecente e nem imoral. Não é interesseiro e nem se irrita facilmente, por qualquer motivo. Não exageradamente desconfiado e não guarda rancor. Não se alegra quando alguém faz coisa errada (Rm 1.32). Exclui a inveja (Gl 5.26) e o espírito leviano. Não é soberbo (Tg 4.6,10).

3. O que o amor faz - Alegra-se quando alguém faz o que é certo; nunca desiste dos seus objetivos, porque são corretos e de acordo com a vontade de Deus. Suporta tudo com muita fé, esperança e paciência.

FIRMANDO-SE NA DURABILIDADE DO AMOR

Para continuar a jornada ao céu e alcançar a perfeição, precisamos procurar aquilo que é perfeito. O amor é eterno e maior que tudo. Foi por amor que Deus nos salvou (Jo 3.16); por amor Jesus morreu por nós (Jo 15.12,13); somente pelo amor poderemos fazer a vontade de Deus e do nosso semelhante.

1. Desprendendo-se daquilo que é transitório - "A caridade nunca falha" - Em outras palavras, o amor é eterno e contrasta com as profecias que serão aniquiladas; com as línguas que cessarão; com a ciência que desaparecerá. Todas estas coisas, que tanto nos alucinam e nos prendem, são passageiras; servem apenas momentaneamente, como subsídios para o nosso desenvolvimento espiritual, rumo à perfeição.

2. Deixando a imaturidade - No momento, o nosso conhecimento é em parte, e o que falamos da parte de Deus é apenas um pontinho no Seu oceano. Todas as nossas palavras, emoções e pensamentos são próprios de uma criança espiritual; portanto, precisamos crescer e chegar a ser um adulto espiritual, isso é maturidade (Ef 4.15).

 3. Buscando o que é permanente - O cristianismo é repleto de coisas boas, são as boas novas de Deus: evangelização, discipulado, ceias, ofertórios etc, porém tais práticas encerrarão quando estivermos na presença eterna de Deus. Não haverá mais necessidade de oramos, jejuarmos etc. Teremos no futuro um conhecimento perfeito de todas as coisas. No entanto, de todo o nosso investimento, o maior rendimento teremos naquilo que fizermos pela força do amor, pois é, de todas as coisas, o mais importante e permanente.

CONCLUSÃO