06 dezembro 2011

Crescimento Bíblico - Reflexão nos Salmos - Deus é o nosso Senhor

 
Versículo Chave

"Seja a tua misericórdia, SENHOR, sobre nós, como em ti esperamos"
(Salmo 33.22)



Texto: Salmos 33

Introdução

      É notável que Deus é o Senhor de Seu povo. Esse fato leva a várias implicações práticas que são descritas nesses versículos do Salmo 33. Vários benefícios são citados por conta de tê-lo como Nosso Senhor. Vários motivos são listados pelos quais Deus é merecedor de todo louvor e adoração. Em suma, esse salmo é um convite a adorá-lo.

I - ENCORAJAMENTO À ADORAÇÃO DO NOSSO SENHOR (V.v 1-3)

             O Salmo 33 é basicamente um exortação à adoração a Deus. Seus versículos iniciais tratam daqueles a quem convém louvar a Deus e da maneira a qual deve ser feita a adoração com música e cânticos.

1 - O louvor dos justos e retos  (v. 1)

No primeiro versículo do capítulo o salmista declara: "pois aos retos convém o louvor".  O louvor agradável a Deus é feito por aqueles que são retos e justos. Aos limpos de coração é feita a promessa de que "verão a Deus" (Mt 5.8). Jó é um exemplo bíblico de justiça e retidão diante do Senhor, que deu testemunho acerca dele exaltando a sua retidão e integridade (Jó 1.8). Muito mais do que sacrifícios, Deus se agrada da obediência de seus servos (Mq 6.6-8).

2 - A adoração com música e cânticos deve ser feita com dedicação (v.v. 2 e 3)

O louvor com hinos sempre foi parte do culto de adoração a Deus. O livro de Salmos reúne 150 hinos de louvor que eram entoados nas celebrações. Havia o ministério dos levitas, que além de terem a responsabilidade de cuidar do templo, eram designados para louvar a Deus com instrumentos (2Cr 7.6). O próprio rei Davi, ainda antes de se tornar rei, era habilidoso e dedicado à ministração com harpa, de modo que era chamado para tocar quando o rei Saul se encontrava atormentado por um espírito mau (1Sm 16.l23). A dedicação ao louvar o Senhor, com cânticos ou instrumentos, é indispensável para que o louvor seja agradável a Ele. Dessa forma, não deve ser feito de maneira displicente.

II - OS MOTIVOS PELOS QUAIS DEUS DEVE SER ADORADO (Vs. 4-11)

           O salmista aqui lista uma série de motivos pelos quais Deus deve ser adorado. É óbvio que não estão aqui listados todos os atributos pelos quais merece o louvor de Seu povo, mas os citados nestes versículos O tornam digno de adoração e louvor.

1 - Deus deve ser adorado por Sua fidelidade e bondade (vs 4 e 5)
Dois dos atributos mais notáveis de Deus são a fidelidade e a misericórdia para como Seu povo. Não se contam as vezes que seu poso se encontrava, por exemplo, murmurando contra Dele no deserto, ou servindo a deuses estranhos na terra prometida. Entretanto, nunca o rejeitou como povo e sempre esteve pronto para perdoar quando se arrependiam e se voltavam para Ele (2Cr 7.14). Deus foi fiel à promessa que fez a Davi de lhe constituir um reino eterno, ainda quando os seus descendentes não permaneceram fiéis (2Sm 7.15). Deus é fiel e misericordioso também com todos os Seus escolhidos.

2 - Deus deve ser adorado pelo Seu grande poder (vs. 6-11)

Nestes versículos, é mostrado o infinito poder de Deus que é apresentado como Criador (v. 6), Onipotente (v. 7), digno de temor (v. 8), e cujos planos não podem ser frustrados (v. 11). O poder é ilimitado, e esse fato é visível ao longo de toda a história da humanidade. Em diversos momentos, usa o Seu poder em favor do Seu povo, para livrar (Dn 3; At 12.7), salvar (Êx 14) e dar vitória (1Sm 17). O poder de Deus ainda é o mesmo, e Ele continua disposto a usá-lo em favor de Seu povo, por isso é digno de adoração pelo Seu grande poder.

III - OS BENEFÍCIOS DE TER DEUS COMO O SENHOR (vs. 12-22)

              Nos versículos finais, o salmista lista uma série de benefícios de ter Deus como o Nosso Senhor. O versículo-chave desse salmo é "Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança" (v. 12). A seguir são descritos os motivos de tal bem-aventurança:


1 - A presença e o favor de Deus como o Senhor (vs. 12-17)

O Senhor não é um Deus distante de Seu povo, que fica alheio aos acontecimentos e se mostra indiferente aos fatos ocorridos. Nos versículos 13 e 14, o salmista declara que os olhos do Senhor estão sobre todos os homens. Deus está ciente de todos os fatos da vida dos cristãos. Ainda que pareça que é um Deus distante, alheio aos problemas cotidianos do Seu povo, é fato que Ele conhece e contempla cada detalhe da vida de Seus escolhidos (v. 15).

2 - A proteção de Deus em favor do Seu povo (vs. 18-22)

O salmista termina o salmo adorando a Deus pela Sua proteção. O Senhor se mostra presente em nossas vidas para livrar a nossa alma da morte e nos conservar vivos (v. 19). Ele se mostra presente na vida de cada um dos que o servem cuidando e protegendo o Seu povo de todos os perigos aos quais estão sujeitos, portanto é o Nosso auxílio e escudo (v. 20; Sl 46.1).

Conclusão

O Salmo 33 apresenta Deus como o Nosso Senhor e encoraja à adoração com louvores e cânticos dos quais Ele é digno. Vários motivos são listados pelos quais Deus deve ser adorado pelo Seu povo. Sua finalidade, Sua bondade e misericórdia"Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor".