04 março 2012

Biografia Bíblica - DAVI

1 Samuel 16.11-13

11 - Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os jovens? E disse: Ainda falta o menor, e eis que apascenta as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Envia e manda-o chamar, porquanto não nos assentaremos em roda da mesa até que ele venha aqui.

12 - Então, mandou em busca dele e o trouxe (e era ruivo, e formoso de semblante, e de boa presença). E disse o Senhor: Levanta-te e unge-o, porque este mesmo é.

13 - Então, Samuel tomou o vaso do azeite e ungiu-o no meio dos seus irmãos; e, desde aquele dia em diante, o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi. Então, Samuel se levantou e se tornou a Ramá.

Introdução

O nome Davi é mencionado mais vezes que qualquer outro personagem do Antigo Testamento, foi músico hábil, pastor de ovelhas, rei, profeta, ousado em decisões e estratégias militares, enfim, um grande estadista. Em seus momentos de fraqueza, soube se humilhar, se arrepender e esperar de Deus o perdão.

Foi o segundo rei do reino unido de Israel, ancestral de Jesus Cristo e escritor de diversos salmos. O registro da vida de Davi encontra-se em 1Samuel 16.31; 2Samuel 1-24; 1Reis 1-2; e 1Crônicas 10-29.

HISTÓRICO

Passou sua juventude em Belém. Era o filho mais novo de Jessé, respeitado cidadão da cidade, dentre oito irmãos (1Sm 16.10-11; 17.12-14). Sua mãe foi ternamente lembrada por sua piedade (Sl 86.16). Por ser o mais moço, Davi guardava os rebanhos de seu pai. E nessa função, demonstrou coragem e fidelidade, matando um leão e um urso que haviam atacado aos ovelhas.
-.-
Israel encontrava-se decadente nas mãos do rei Saul, escolhido pela própria nação, em represália à Teocracia, que regia o povo por meio de Samuel. Devido ao caos do reinado, a nação ficou assim:

1º) As condições sociais e política da época não eram boas. Por quê?

Porque o povo havia se corrompido e se afastado de Deus. Eli e seus filhos perversos haviam morrido. Deus escolheu Samuel para sucedê-lo, era o último dos juízes. Como estava avançado em idade, Samuel constitui seus filhos juízes sobre Israel, mas eles não andaram nos caminhos do Senhor (1Sm 81-3). Gerou-se uma insatisfação na nação, que começou a pedir um rei semelhante ao das outras nações. Até a época de Samuel, Israel tinha um governo Teocrático, mas o povo, insatisfeito, rejeitou ao Senhor que orientou Samuel a atender à voz do povo (1Sm 8.79).

Em pouco tempo Saul mostrou-se intransigente e desobediente a Deus e foi rejeitado.

2º) Um novo Rei

Davi era bisneto de Rute e Boaz, filho de Jessé, efrateu, de Belém de Judá, sendo o mais novo de oito irmãos (1Sm 16.10,13; 17.12). Foi criado pastoreando as ovelhas do pai. Nessa ocupação, aprendera a ser corajoso, forte e valente; com suas ovelhas, era terno e dócil. Era dedicado e responsável no serviço que o seu pai Jessé lhe confiara e, inúmeras vezes, seus irmãos o invejavam. Davi encontrava-se no campo pastoreando as ovelhas do pai, quando Samuel mandou chamá-lo para ungi-lo rei.

3º) Derrota do gigante Golias e do exército filisteus

Golias havia desafiado a nação de Israel a lutar com ele, isso agitou o espírito de Davi. Golias trajava uma pesada armadura para iniciar um combate corpo-a-corpo. Mas a estratégia de Davi era lutar com ele à distância. Pegou então cinco pedras de um ribeiro e enfrentou o gigante com apenas uma funda e sua fé inabalável em Deus. Golias caiu com uma pedra cravada em sua testa e Davi foi reconhecido como herói de Israel.

Davi ganhou honra diante de Saul, que o nomeou seu escudeiro. Entretanto, ao voltar da batalha, Davi e seus homens foram exaltados pelas mulheres, e Saul ressentiu-se e ardeu-se em ciúmes. A partir daquela data, já não via Davi com bons olhos (1Sm 18.7-9), e passou a persegui-lo. Começa aqui uma nova fase na vida de Davi.

O rei Saul rejeitado por Deus e perturbado por um espírito mal, estava sujeito à depressão e insanidade. Seus servos aconselharam-no a ter um harpista que pudesse acalmar seu espírito. Davi foi recomendado para a tarefa. Como harpista de Saul, Davi estava exposto a questões governamentais, uma situação que o preparou para sua função posterior como rei de Israel.

A fama de herói durou pouco e com ele as questões governamentais. O tempo que passara ao lado do rei Saul foi suficiente para ele usar na formação de exércitos.

Como o rei Saul procurava matá-lo, Davi levantou um grupo de fugitivos como seus seguidores e escapou da presença do seu inimigo.

Vale ressaltar que, por dois momentos Davi teve condições para matar o rei Saul, mas não o fez.

A VIDA NO DESERTO

Refugiando-se na caverna de Adulão longe da esposa, família e amigos, passou a se confortar no Senhor, com quem sabia poder sempre contar (Sl 142). O deserto foi a escola que Deus preparou para reparar sua vida.

Como Davi se saiu no deserto?

1º) Treinou um bando de fugitivos

Tornando-se líder, sua função era proteger os rebanhos e as colheitas das comunidades israelitas situadas nas fronteiras.

Davi encontrava-se nas terras de Nabal que era homem insensato e mesquinho, que, por não dar o devido pagamento a Davi e seus homens, seria morto, caso não tivesse havido a intervenção de Abigail, sua esposa que, com inteligência e diplomacia, conseguiu que Davi desistisse de tal intento. Nabal mais tarde faleceu e Davi mandou chamar Abigail para ser sua esposa. Antes porém havia se casado com Ainoã com quem tivera o primeiro filho.

2º) Saul insiste em perseguir Davi


DEUS ORIENTA DAVI A VOLTAR À JUDÁ

Com a morte de Saul e seus três filhos, Davi foi orientado por Deus a voltar a Judá, onde seria ungido Rei. Escolheu Hebrom para fixar residência e ali permaneceu por sete anos e meio até que foi ungido rei das 12 tribos de Israel. Tomou a decisão de transferir a capital do reino para Jerusalém, para se tornar o centro político e religioso de Israel. no período que esteve em Hebrom, casou-se com várias mulheres e lhe foram dados filhos e uma filha (2Sm 5.14-16; Cr 3.5-8; 2Cr 11.18).

DAVI UNGIDO REI

Foi ungido rei, assumindo o trono aos 30 anos de idade, e reinou durante quarenta anos. Conduziu o povo Israel com bravura e liderança firme, estendeu suas fronteiras, edificou um palácio e implementou o comércio interno e externo, de forma que houve muita prosperidade material no Reino. Davi era rei, juiz e general e, para as nações vizinhas, era o poder principal em todo o mundo do oriente próximo - o maior monarca da época. Davi se preocupou em trazer a Arca da Aliança de volta e a colocou num tabernáculo especialmente preparado para ela.

As qualidade do rei Davi

Uma vida plena e cheia de altos e baixos, mas soube em várias ocasiões, confiar inteiramente no Senhor. Não obstante, todas as controvérsias de sua vida, Davi serviu à sua geração conforme os desígnios de Deus (At 13.36). Em várias ocasioções, teve que se ajoelhar para pedir perdão e, nos momentos sombrios, dedicava-se a compor belos salmos de louvor (Sl 22).

Desventura

A Bíblia destaca que Davi era um homem segundo o coração de Deus, o favor divino deu lugar ao castigo e as bênçãos de Deus à maldição, depois de ele haver pecado. Em nenhum momento a Bíblia procura ocultar os pecados ou defeitos de seus filhos "pois tudo que foi escrito, para nosso ensino foi escrito" (Rm 15.4). Davi era humano e teve seus pontos negativos e positivos destacados.

Fraquezas

1º Fraqueza: Negligenciou a criação dos filhos e perdeu o controle sobre sua família. Como estava demasiadamente envolvido com a vida pública, não teve tempo para admoestar os próprios filhos, tinha medo de contrariá-los (1Rs 1.5-6).

2ª Fraqueza: Entregou-se a impetuosas paixões, abrindo brechas em sua vida espiritual, e Deus não se agradou (2Sn 11.27) do duplo pecado de homicídio e adultério deliberado e maquinado.

Davi não tropeçou no pecado, ele quis pecar e viveu uma mentira, ocultando-o. O acerto de contas com Davi veio por meio do profeta Natã que transmitiu a mensagem do Senhor, no tempo certo e com palavras sábias. Em sinal de arrependimento, Davi pediu perdão e foi perdoado (2Sm 12.13).

3ª Fraqueza: Tornando-se autosuficiente e sem depender de Deus, mandou levantar um censo que desagradou ao Senhor, pois o mesmo só poderia ser feito dentro da vontade Deus e dentro das normas estabelecidas na Lei (Êx 30.12-15). Seu "ego" elevou-se no seu íntimo, o que ele realmente queria era conhecer a força de seu exército e, quão grande era o território conquistado. Como de Deus não se zomba, o castigo foi instantâneo, sobreveio uma peste sobre o povo, que num dia morreram mais de setenta mil. A consequência do pecado de Davi, atingiu pessoas inocentes. Mais uma vez, Davi arrependeu-se e Deus fez cessar o castigo.

Conclusão

O propósito de Davi era servir como rei e perpetuar a justiça de Israel. Seus últimos dias foram refletir sobre o templo - um sonho não realizado por determinação de Deus (1Cr 28); aconselhar a Salomão a ser sábio e buscar o Senhor com um coração sincero e voluntário e a servi-lo de todo o seu coração (1Cr 29).

Davi morreu numa boa velhice, cheio de dias, riquezas e glória (1Cr 29.28).

Queridos irmãos, creio que a maior de todas as lições tiradas da vida de Davi é poder saber ser um homem ou uma mulher segundo o coração de Deus.