30 junho 2012

ESPÍRITO SANTO - O mover sobrenatural de Deus

A MAIOR NECESSIDADE DA IGREJA

Texto de Ouro
"Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito" (João 14.26)

Leitura da Palavra: João 16.7-14
7 - Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei.
8 - E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo:
9 - do pecado, porque não crêem em mim;
10 - da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;
11 - e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.
12 - Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
13 - Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir.
14 - Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

O objetivo desse estudo é ensinar que o Espírito Santo é o Consolador enviado para ajudar a igreja na sua jornada e mostrar a necessidade de sua forte atuação na obra de Deus.
  • INDRODUÇÃO:
 O Espirito Santo é o ser mais negligenciado pelo povo de Deus. Falamos muito acerca dele, no entanto, pouco o conhecemos e pouca comunhão temos com Ele.
Para muitos, é apenas um realizador de milagres; para outros, um distribuidor de dons. Assim, negligenciamos a sua doutrina, a ponto de negar-lhe seu lugar na divindade. O Espírito Santo é o Consolador que foi prometido pelo Senhor.
  • A DOUTRINA DO ESPÍRITO SANTO (V. 7)
Às vezes preocupamos mais com o preparo teológico do que com a presença do Espírito Santo em nossas vidas. Hoje é comum o curso de psicanálise para líderes, como uma alternativa para a falta do poder e presença do Espírito. A igreja além de se institucionalizar, está também se transformando num centro social, contribuindo para perda do contato com a terceira pessoa da Trindade.
Diante disso, precisamos resgatar urgentemente estes valores e isso só é possível revendo a doutrina do Espírito Santo como apresentada na Escritura:
1 - Um Ser pessoal - A Bíblia ensina que o Espírito Santo é um Pessoa, dotada de todas as qualidades de uma personalidade: emoções, intelecto, vontade. Ele ama, tem afeições, compaixão, pensa, fala e ouve, enfim, executa qualquer ato de que uma pessoa é capaz (Lc 12.12; At 5.32; 13.2; 20.28).
Ele quer andar e conversar conosco como fazem duas pessoas. Com a nossa insensibilidade, podemos entristecê-lo ao resisti-lo (Ef 4.30). Como um Ser pessoal precisa ser ouvido, amado e atendido.
O Espírito Santo escolheu Barnabé e Paulo para a obra missionária (At 13.2), tomou decisão final na reunião ministerial em Jerusalém (At 15.28, impediu os apóstolos de anunciarem a Palavra na Ásia (At 16.6).
2 - Um Ser Divino igual ao Pai e ao Filho - O Antigo Testamento registra a presença do Espírito Santo participando da criação do universo (Gn 1.2). Ele esteve presente em todos os grandes eventos. Nos Evangelhos aparece como o "Dedo de Deus" (Mt 12.28; Lc 11.20) ungindo Jesus de Nazaré para fazer a obra da redenção (At 10.38). No entanto, é nas epístolas que Ele surge como o Consolador, Instrutor, Porfessor, Edificador da Igreja de Jesus Cristo. Por último, levá-la-á aos ares ao enconntro do Senhor, como uma noiva adornada.
Todos os atributos de Deus, o Pai, são também do Espírito Santo. Jesus afirmou que todo pecado é passivo de perdão, com exceção da blasfêmia contra o Espírito Santo (Mc 3.28,29). Isso prova que Ele é a terceira pessoa da Trindade, igual ao Pai e ao Filho (2Co 13.13).

3 - Um Ser Santo - Seu próprio nome já indica sua natureza; espiritual e santo. Um relacionamento com Ele sempre implica em renúncia a todo tipo de pecado. A presença da iniquidade no coração do crente tais como: desonestidade, egoísmo, indolência, rancor, ressentimento e, o pior de todos os pecados, a incredulidade, desabilitam-no de uma comunhão com o Santo.
Possuir a manifestação de algum dom espiritual não significa uma vida cheia do Espírito Santo. A igreja em Corinto os possuía, mas foi qualificada de carnal (1Co 3.1). Congregar com os santos, não torna o crente um santo em potencial Judas estava entre os chamados por Jesus, no entanto, era um ladrão e traidor. A única prova incontestável de uma vida cheia do Espírito Santo é uma vida santa.
  • A OBRA DO ESPÍRITO SANTO (vv. 8-11)
É verdade que o Espírito Santo distribui dons aos crentes assim como opera sinais e maravilhas; revela mistérios no seio da igreja; alegra os cristãos em suas reuniões de adoração a Deus. No entanto, existe um propósito maior na operação do Espírito de Deus. Quando Jesus prometeu derramá-lo sobre nós, não mencionou qualquer desses itens acima, disse que seríamos capacitados com poder para sermos suas testemunhas, mesmo à custa do martírio, deixando-nos prova de que seria isto uma realidade para a Igreja. Logo em seguida, Estevão foi morto pelo Sinédrio. Tempos depois, Tiago foi morto por Herodes, e Paulo martirizado em Roma. Vejamos, etão, a obras do Espírito Santo:

1 - Dar ao homem convicção de pecado "E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo" (v. 8) - De modo nenhum o homem pode ser convencido de pecado, se não for pela atuação do Espírito Santo. Ele é o único que pode perscrutar (Examinar minuciosamente, com toda atenção) o coração humano e penetrar até o espírito do homem no seu recôndito (Profundo, do âmago; o interior, o íntimo do coração) (Sl 139.7). Uma boa oratória pode convencer o homem intelectualmente, levando-o a um profundo sentimento de culpa, todavia, isso não ofará abandonar o erro. Somente o Espírtito Santo pode levar o homem à convicção do pecado, gerando arrependimento e rejeição a todo tipo de iniquidade.
Não podemos deixar de ouvir a voz do Espírito Santo (Hb 4.7), pois isso seria demonstração clara de obstinação e dureza de coração (At 7.51).
Devemos buscar o poder do alto, para que o Espírito Santo varra do coração do povo de Deus todo pecado oculto. Esse foi o sentimento no coração dos ouvintes de Pedro, logo após o derramento do Espírtio em Jerusalém (At 2.37,38).

2 - Consolar os crentes - O Espírito Santo é o Consolador prometido. "Se eu não for, o Consolador não virá a vós", disse Jesus (Jo 16.7).
No Antigo Testamento, o Espírito Santo agia na vida dos servos de Deus e hoje, podemos contar com Sua presença confortadora permanentemente (Jo 14.16). Há uma unidade perfeita entre o nosso espírito e o Espírito de Deus (Rm 8.16), pois é o nosso gozo nas tribulações (1Ts 1.6).

3 - Adornar a Igreja e prepará-la para a vinda do Senhor - O Espírito Santo limpa e "perfuma" a Igreja, preparando-a como noiva para o Senhor da Glória. Ele a adorna com seus dons (1Co 12.1-11); a enche de esperança (Rm 15.13); a santifica (Rm 15.16).
  • AS CONCESSÕES DO ESPÍRITO SANTO (vv. 12-14)
Não existe necessidade maior para a igreja do que a habitação do Espírito Santo na vida dos crentes. Os pastores e demais líderes precisam ser inspecionados para apresentar uma vida frutífera no seu ministério, ao invés de uma "haste seca, demonstrando ser intelectuais sem coração, com grande poder de imaginação, mas sem o poder do Espírito Santo". "Quando o Espírito Santo fizer parte do pensamento dos pregadores e dos mestres, Ele fará parte da expectativa dos ouvintes". A. W. Tozer.
É o Espírito Santo quem nos "guiará em toda verdade"; "não falará de si mesmo", mas glorificará a Cristo. Para tanto:

1 - Nos concede Seus dons - Todos os dons espirituais (1Co 12.1-11) e os dons ministeriais (Ef 4.11) são obras do Espírito Santo e foram concedidos à igreja para a sua edificação (1Co 14.26).
Evidentemente que os dons não são passatempo e nem brinquedo de "meninos em Cristo" (1Co 3.1; 14.20; Ef 4.14; 1Pd 2.2), são para auxiliar no crescimento da igreja.

2 - Opera em nós o Seu fruto - Parece que a preocupação dos crentes hoje se restringe aos dons espirituais, todavia, o fruto do Espírito é mais necessário e é a única evidência incontestável de uma vida cheia do Espírito Santo. O Diabo pode imitar os dons, mas jamais se fará passar por um cristão cheio de amor, de fé, de mansidão.
O fruto do Espírito na vida do crente indica: conexão com o sobrenatural - pois o fruto é do Espírito; crescimento normal - já que o fruto só aparece na estação própria; maturidade gradual - desenvolvimento até a estatura perfeita em Cristo Jesus (1Co 13; Ef 4.13).

Concluimos então que conhecer o Espírito Santo, conforme a revelação bíblica, é o nosso maior dever pois Ele é a terceira Pessoa da Trindade e foi enviado por Cristo para estar conosco, nos consolando, santificando e ensinando. O Espírito Santo é uma pessoa que merece atenção. Ele fala conosco, portanto, precisamos ouvi-lo; é o mestre de que precisamos para nos ensinar, o Espírito que faz de nós verdadeiros adoradores.

Então:
Você tem deixado o Espírito Santo produzir fruto em você?  Reflita nisso.