19 julho 2013

- Conhecendo o Deus Santo

Deus é por natureza Santo e para relacionar com Ele a pessoa precisa ter santidade

1 Pedro 1.13-16 é o estudo de hoje

O cristão deve buscar conhecer a Deus de forma plena e profunda, numa trajetória ascendente, voltando-se de coração para o que está expresso em Sua palavra, quando diz: "É dar-lhes-ei coração para que me conheçam, porque eu sou o Senhor; e ser-me-ão por povo, e eu lhes serei por Deus; porque se converterão a mim de todo o seu coração" (Jr 24.7). A busca pelo conhecimento do Deus que é santo envolve, dentre outras coisas, um comprometimento total com a santidade, a comunhão e a intimidade com Ele. Vale ressaltar que um dos sentidos da palavra santo é "separado". Esse é o objetivo de mostrar que Deus, sendo totalmente separado do mal, é santo em sua essência, conduta e em seus relacionamentos, e requer do cristão uma conduta santa compatível com a Dele.

I - DEUS É SANTO EM SUA ESSÊNCIA

"E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória" (Is 6.3). A santidade é o atributo que expressa a genuína pureza moral de Deus tornando-o intolerante à maldade. Deus é santo. Esse atributo divino, além de ser uma referência à sua total separação do mal, ratifica também sua glória e honra.

1. "E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e nele não há trevas nenhumas." (1Jo 1.5)

Neste versículo, João destaca uma verdade singular acerca do Deus Santo, referindo-se à sua extrema e invariável santidade, bem como à sua pureza moral: "Deus é luz". João obteve essa percepção a partir do convívio com o próprio Deus encarnado, Jesus. A Bíblia destaca com frequência o antagonismo existente entre a luz e as trevas, ressaltando a impossibilidade de compartilharem o mesmo espaço, pois sempre a luz dissipará as trevas. Isso ratifica que Deus, sendo luz, propaga bondade, verdade, perfeição e santidade. Ele é totalmente puro, santo e separado do mal. "Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas" (Jo 12.46).

2. "E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos; a terra toda está cheia da sua glória." (Is 6.3)

O versículo faz alusão imensurável da plenitude da glória do Deus Santo. A santidade do Senhor torna glorioso e majestoso o ambiente onde Ele habita, levando os Serafins a exaltarem continuamente Sua pureza. Esta glória divina, carregada de santidade, pôde ser observada no Sinai (Ex 19.1-24); na visão magnifica de Ezequiel (Ez 1) e, por Paulo, na estrada de Damasco (At 9). Contemplar a glória santa de Deus, em toda a Sua autossuficiência, é uma atitude reverente e respeitosa que deve fazer parte da vida de todos que chamam pelo Seu nome. Deve igualmente levá-los a devotá-lo inestimando apreço, dando-lhe o lugar mais precioso do coração, com atitudes que proclamem Sua glória e honra (Ap 19.1).

II - DEUS É SANTO EM SUA CONDUTA

"Pelo que vós, homens de entendimento, escutai-me: longe de Deus a impiedade, e do Todo-poderoso, a perversidade" (Jó 34.10).

Deus é completamente apartado de qualquer iniquidade e totalmente intolerante para com a perversidade humana. Todo o Seu proceder é baseado no Seu caráter santo.

1. "Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal." (Sl 5.4)

O versículo mostra que o Senhor tem verdadeira aversão ao pecado. Tanto Ele não se compraz, quanto não admite que a injustiça ou qualquer iniquidade permaneça a Sua volta, como bem expressou o profeta Habacuque: "Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal..." (Hab 1.13). O afastamento de Deus em relação ao pecado leva-o a distanciar-se também do ser humano, uma vez que este está imerso em suas muitas transgressões (Is 59.2). Na busca por uma reaproximação com suas criaturas, Deus proveu um meio de desfazer este abismo intransponível, enviando a Cristo para que, por meio de um sacrifício vicário em prol da humanidade, pudesse reconciliá-lo com Ele. Só o sangue de Jesus pode purificar o coração do homem de toda a maldade. "Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus" (Mt 5.8).

2. "Então Josué disse ao povo: Não podereis servir ao Senhor, porque é Deus santo, é Deus zeloso, que não perdoará a vossa transgressão nem os vossos pecados." (Js 24.19)

O mundo hoje trata a iniquidade e o mal como coisas relativas ou necessárias. Influenciados por este pensamento, muitos cristãos têm optado por pregar um evangelho ameno demais, incapaz de transformar vidas, e que se amolda às conveniências de cada um. Isso é antibíblico e ofensivo à santidade divina. O versículo acima ressalta o caráter intolerante de Deus diante da perversidade do ser humano, que pensa ser possível apresentar-se diante Dele com suas imundícies que não lhes são ocultas. Atente para a advertência de Paulo: "Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça" (Rm 1.18). Essa ira não é impulsiva ou explosiva como a humana; antes, é uma repulsa intrínseca de um Deus santo, cuja natureza é inalterável, e diante de quem o mal não se sustém.

III - DEUS É SANTO EM SEUS RELACIONAMENTOS

O texto de Levíticos 19.2 enfatiza uma santidade que deve ser expressa e evidenciada em todos os aspectos da vida cristã. Além de santo, Deus é também santificador, trançando assim normas para relacionamentos santos e parâmetros morais para a humanidade. O que torna possível o relacionamento do homem com Deus é a busca por uma vida pura e por uma semelhança cada vez maior com o Pai.

1. "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor,..." (Hb 12.14)

Não há outra maneira de se relacionar com um Deus santo que não seja por meio da santidade. Para trilhar o caminho da santificação, muitas coisas são necessárias, dentre elas o separar-se das coisas do mundo, andando por veredas que evitem pecado ou impureza de qualquer ordem; somadas ainda a atitudes que propicie uma dedicação a Ele e ao seu reino. A santidade de Deus deve ser a principal motivação para que o cristão busque total pureza moral em seu modo de vida. A plena pureza de Deus O leva a repudiar o mal. Desta forma, para estar em Sua presença, faz-se necessário ter a mesma disposição (1Ts 5.23).

2. "...mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento;..."  (1Pe 1.15)

Inicialmente, homem e mulher foram criados à imagem de Deus, como coroas da criação, e enalteciam a Sua glória. Ainda hoje, os animais é os astros celestes proclamam a glória de Deus, cumprindo assim o propósito para o qual foram criados. Porém, o homem, em oposição a toda a criação, escolheu dar as costas para o Senhor, optando por uma vida iníqua, perdendo sua semelhança com o Criador. A permanência nessa imagem disforme torna impossível qualquer aparência com o Pai. Para um retorno à imagem divina, só há um caminho: buscar um viver santo, de acordo com os propósitos divinos. Assemelhar-se a Deus não diz respeito apenas a frequentar cultos ou a desempenhar atividades eclesiásticas; mas implica em refletir Sua imagem por meio de atitudes justas, verdadeiras e de misericórdia (Mq 6.8 - NVI).

Conhecer e se relacionar com o Deus santo é um privilégio para o cristão. É um relacionamento que propicia desdobramentos apaziguadores e de grandes bênçãos. Por meio da igreja, a santidade de Deus pode e deve ser revelada e propagada ao mundo em trevas. Os povos verão a santidade do Senhor na medida em que a virem sendo refletida no Seu povo.

Este estudo conclui a trajetória para uma aproximação da humanidade a Deus, que é alcançada por meio da escolha por uma vida de santidade, refletida na conduta e nos relacionamentos, pois a Sua palavra enfatiza que: "Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel; Eu sou o Senhor teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar" (Is 48.17).

Que o Senhor nos abençoe