27 agosto 2013

- Conhecendo Deus o maior sábio do universo

 1 Coríntios 1.20-25



“20 – Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? 21 – Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. 22 – Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; 23 – mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos. 24 – Mas, para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus. 25 – Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.”.
A sabedoria é uma palavra comumente relacionada a conhecimento, inteligência, capacidade de entendimento e sagacidade[1], aplicáveis ao ser humano. Mas, e quanto à sabedoria divina? Como ela poderia ser definida? Na verdade, não existe um conceito fechado, aceito por todos os teólogos. A maioria deles, contudo, ratifica[2] que Cristo é a personificação da sabedoria de Deus, uma vez que ultrapassa a todos os limites da ciência humana e o aprendizado empírico[3]. Isso mostra o quão pequeno somos e que infinidade do saber de Deus não pode ser plenamente compreendida. Cabe ao homem render-se pela fé diante do Pai, ainda que não consiga entender seus sábios caminhos.
Outra perspectiva que devemos ter é vislumbrar as muitas ocasiões em que Deus propositalmente, provou sua sabedoria pelo contraceno[4] humano. À lógica dos homens, os planos divinos são absolutamente loucos (1Co 1.23). Não obstante, podemos confiar e devemos buscar conhecê-lo, pois “o temor ao Senhor é o princípio do saber” (Pv 1.7). A partir deste princípio, analisaremos alguns aspectos da sabedoria de Deus:
                  I.        A sabedoria de Deus é infinita; e,
                 II.        A sabedoria de Deus contraria a lógica humana;

I.    I.   A sabedoria de Deus é infinita
O conhecimento humano é finito, diferentemente do divino, diante do qual todas as barreiras se desfazem. A sabedoria do Senhor excede a toda ciência dos homens, a todas as experiências comuns ou à possibilidade de entendimento humano, deixando-nos totalmente à mercê da confiança Nele (Tg 3.17).
1.    A sabedoria de Deus ultrapassa a ciência humana:
“... o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria...” (v. 21 – ARA[5]). A tentativa dos homens de se chegarem a Deus por meio da ciência não foi coroada de êxito. Por isso, sabiamente, Deus se revelou de diversas maneiras, permitindo-se ser encontrado, mesmo a despeito do limitado conhecimento que eles dispunham. A história de Daniel ilustra o quanto a sabedoria de Deus sobrepuja o conhecimento humano, mostrando que o rei Nabucodonosor encontrou nos jovens hebreus dez vezes mais sabedoria que em todos os magos e encantadores – aqueles que dominavam a ciência da época – (Dn 1.20). Além disso, quando confrontados com a exigência de explicação do sonho do rei, os magos estiveram impotentes, enquanto que Daniel mostrou que do Senhor é a sabedoria e Ele conhece até mesmo o que está encoberto (Dn 2.20-22).
2.    A sabedoria de Deus transpõe o conhecimento empírico do homem:
“Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria” (v.22 – ARA). Muitas pessoas, embora não possua uma gama de conhecimento elevada, possuem uma sabedoria peculiar, pois extraem de suas experiências pessoais grandes conhecimentos que lhes servem de base altamente aplicável à vida. Os judeus baseavam boa parte do seu conhecimento em sua cultura de sinais. Entretanto, foram confrontados com os propósitos divinos quanto ao plano de salvação, uma vez que a história de Jesus era vista como uma contracultura de sua época. Eles esperavam um rei salvador que tomaria o poder do império romano e restabeleceria a ordem conforme as experiências históricas do povo. Todavia, ocorreu de maneira totalmente diferente, pois Jesus se mostrou um rei financeiramente pobre, sem poder político e desapegado do trono humano. O Deus sábio não se limita ao nosso conhecimento.
3.    A sabedoria de Deus excede o entendimento, levando o homem à fé (v. 24):
Com o decurso do tempo, o homem evoluiu em inteligência, passando a ostentar uma consciência aparentemente adulta e madura, ignorando o Criador e tornando-se indiferente à Sua revelação. A evolução da ciência permitiu a falsa impressão de independência quanto a Deus. Tudo isso, contudo, é mero subterfúgio para tentar remediar o vazio que somente Deus pode preencher. É este vazio que tem feito com que todos os povos busquem um contato com o espiritual, ainda que não com entendimento.
Todavia, somente em Cristo, poder e sabedoria de Deus (v. 24 desse estudo) o homem pode suplantar este ceticismo[6] científico, aproximando-se de Deus, pela fé. Para tanto, há que se abandonar, como a um refugo, tudo aquilo que nos desvia da verdadeira sabedoria.
“Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo”.
(Fp 3.8 – ARA).
II.    A sabedoria de Deus contraria a lógica humana
É visto que muitos dos propósitos de Deus andam na contramão do pensamento humano, em virtude de Sua sabedoria. Por esta razão, quando comparados com a razão e os fundamentos lógicos de nossos conhecimentos, são considerados como loucura. Eis alguns motivos:
1.    Contraria a razão dos povos:
“Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria” (v. 22 – ARA). Conceitua-se razão como sendo a faculdade de compreender relações, distinguindo, com julgamento de valores, o verdadeiro e o falso, o certo e o errado. Para os judeus, o comportamento de Jesus confrontava seus valores éticos[7] e princípios morais (Mt 11.19; Mt 23.13-36). Eles não conseguiam discernir, por meio da razão, o certo e o errado. Para os gregos, que em sua maioria não criam na ressurreição, a vida de Cristo era-lhes incompreensível, pois transpunha a capacidade que eles tinham de racionalizar e efetuar juízos de valor (At 17.32-34). Em diversas partes, a Bíblia mostra como a sabedoria de Deus, contraria a maneira racional dos povos (Êx 8.16-19; 2Cr 9.1).
2.    Contraria o fundamento comum (v. 23):
Fundamento significa base, alicerce, sustentáculo. A sabedoria de Deus, baseado na vida de Jesus, confronta a todo e qualquer fundamento comum aos povos. Para os judeus, por exemplo, a crucificação de Cristo, bem como o título posto na parte superior da cruz dizia “este é Jesus, o Rei dos Judeus” (Mt 27.37 – ARA), era um escândalo. Quem poderia, em sã consciência, venerar a um rei vencido, pendurado em uma cruz? Eles não compreendiam, contudo, que Deus, em sua infinita sabedoria, os salvaria contrariando as bases do povo. Conosco não é diferente. Por vezes, Deus também inverte polos, muda filosofias, mostra-nos novas perspectivas. Há uma máxima que diz que “quando pensamos ter todas as respostas, Deus muda todas as perguntas”.
3.    A sabedoria de Deus é vista como loucura pelo homem (v. 25):
Quando Paulo escreveu a carta aos coríntios, encaminhou-a a um povo de baixo poder aquisitivo e que não tinha amplo acesso à educação da época. Se as coisas de Deus estivessem limitadas ao conhecimento humano, possivelmente, a salvação estaria condicionada apenas às pessoas com elevado grau de informação, e as demais estariam excluídas. No entanto, a chave para se compreender a sabedoria de Deus está com o Espírito Santo. Ele é Deus e, portanto, o elo entre o Senhor e a humanidade, em referência à possibilidade de se entender os propósitos do Pai. Nenhum ser humano poderá compreender o divino apenas por seus próprios conhecimentos. Pedro reiterou este argumento quando afirmou que Jesus era o Cristo, o filho do Deus vivo, ao que Jesus respondeu: “não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai, que está nos céus” (Mt 16.17).
Finalmente, conhecer o Deus sábio é imprescindível à vida cristã. Deve-se levar em conta que a Sua sabedoria ultrapassa os limites humanos, a ciência, a experiência empírica e até a possibilidade de se entender os desígnios eternos. Além disso, a sabedoria de Deus, em muitos casos, se contrapõe à lógica do homem, seja pela razão ou fundamento humano. Enquanto o homem não perceber que apenas pelo Espírito de Deus sua sabedoria pode ser compreendida, enxergará tudo apenas como pura loucura. Que os nossos corações estejam inclinados a conhecer melhor a Sabedoria de nosso Deus.


[1] Sagacidade: Astúcia, finura, perspicácia.
[2] Ratificar: Confirmar
[3] Empírico: 1º) Pessoas que se faz passar por aquilo que não é; 2º) Pessoas que se baseia em experiências.
[4] Contraceno: Exprimir (o ator), pelos movimentos fisionômicos, as ideias ou os sentimentos que nele despertam as palavras de outros atores.
[5] ARA: Almeida Revista Atualizada.
[6] Ceticismo: 1. Doutrina dos que afirmam que o homem não pode atingir a verdade absoluta; 2. Disposição para duvidar de tudo; 3. [Figurado] Descrença; e, 4. Incredulidade.

[7] Éticos: adj.1. Da ética ou a ela relativo; 2. Imagem ética: A que mostra ao vivo os costumes, índole e natureza das coisas.